Curitiba, Terça-Feira 20ºC Predomínio de Sol

Listas Listas

5 Colônias próximas a Curitiba para conhecer

09 de Dezembro de 2020
Compartilhar:
5 Colônias próximas a Curitiba para conhecer

 

Como bem sabemos, os imigrantes foram pessoas importantíssimas para a construção de Curitiba e do Estado do Paraná.

Desde o século XIX, quando o governo do estado realizou projetos para atrair imigrantes, e mais para frente as duas grandes guerras, povos espalhados pelo mundo escolheram nosso Paraná como nova casa. Aqui, fundaram bairros, vilas, cidades e nos deram uma cultura riquíssima.

Hoje em dia podemos conhecer um pouco da vida e a história desses povos conhecendo as colônias que preservam a memória dos povos colonizadores do nosso estado.


Por isso a Te Vejo em Curitiba reúne 5 colônias próximas a Curitiba para se conhecer com amigos e famílias.


1 – Colônia Witmarsum (70 km)

Localizado na cidade de Palmeira, numa distância de 70 km de Curitiba, a Colônia Witmarsum foi formada por imigrantes menonitas da Frísia, onde hoje fica a atual Holanda e Alemanha. Ainda antes de virem ao Brasil passaram pela Prússia, que fez com que russos entrassem na colônia. Chegam ao Paraná em 1951 ao fugirem do regime comunista.

Formados por famílias holandesas, alemãs e russas, a Colônia Witmarsum preserva a cultura e a história destes povos. Ainda hoje podemos conhecer os colonos que preservam as tradições, a religião e o dialeto Plautdietsch, sendo a colônia um dos poucos lugares do mundo onde este dialeto ainda existe.

A Colônia oferece restaurantes com comidas típicas, confeitarias e padarias com doces típicos da colônia. Também é possível comprar produtos colonias como flores, doces caseiros e artesanato, além dos tradicionais cafés coloniais. A arquitetura lembra os povos que deram origem ao povoado te fazem sentir um pouco o que foi a colônia em sua origem.

Ainda na Colônia Witmarsum existe o Recanto dos Papagaios, um local calmo, com um riacho de água transparentes que pode ser uma boa em um dia de calor. O Recanto também conta com estruturas históricas, churrasqueiras e lugares para realizar pique-nique.

 

Museu na Colônia Witmarsum

 

2 – Colônia Holandesa de Carambeí (135 km)

No início do Século XX, imigrantes holandeses vieram ao Paraná. Cidades como Castrolândia e Carambeí foram fortemente influenciadas pela cultura holandesa.

Em Carambeí, ao andar pela cidade, podemos encontrar casas com arquitetura típica holandesa. Restaurantes, padarias, confeitarias, e até moradores descendentes de holandeses, preservam a gastronomia dos seus ascendentes.

Como principal atração na cidade temos o Parque Histórico de Carambeí, que é parque e ao mesmo tempo o maior museu a céu aberto do Brasil, que preserva a memória e nos fazem entender como era a vida dos holandeses na Colônia Carambehy.

O Parque possuí um Centro de Exposição, a Vila Histórica, o Centro Cultural Amsterdã, o Parque das Águas, e outras atrações, além claro de lugares para experimentar a gastronomia holandesa.

 

Parque Histórico de Carambeí

 

3 – Colônia Mergulhão (25 km)

Na vizinha São José dos Pinhais temos a colônia formada por famílias italianas. A Colônia Mergulhão fica aproximadamente 25km do centro de Curitiba.

Formada por famílias provenientes da região do Vêneto e de outras regiões do norte italiano, a colônia possuí famílias descendentes dos imigrantes que chegaram a Curitiba entre 1870 e 1920.

É nela que fica o famoso Caminho do Vinho, a antiga estrada da colônia com aproximadamente 6km de extensão. Ela liga as diversas propriedades dos colonos, onde é possível apreciar as belas paisagens e casas tradicionais.

O Caminho é repleto de restaurantes e cantinas que vendem as delícias gastronômicas da Itália, além de comercializarem queijos, vinhos, salames, doces caseiros, compotas, entre outras delícias. Também é possível encontrar pesque-pague, cafés coloniais, vinícolas, pousadas, casa da cultura, etc.

 

Loja de vinhos na Colônia Mergulhão

 

4 – Colônia Murici (30 km)

Ainda na cidade de São José dos Pinhais, a Colônia Murici é a comunidade polonesa mais expressiva do Brasil.

Formada por poloneses originados da região da Prússia Oriental, atual Cracóvia, a Colônia mantém viva as tradições dos imigrantes poloneses. Ao longo dela, podemos encontrar propriedades rurais que mantém os costumes dos primeiros moradores.

As casas mantém a arquitetura polonesa, como as casas formadas por troncos, e é possível conhecer a Casa da Cultura Polonesa, antiga escola da região, e o cemitério onde estão enterrados os primeiros moradores. Chama atenção a Igreja Sagrado Coração de Jesus construída com arquitetura polonesa e pinturas internas.

O bom de tudo é que a Colônia Murici fica ao lado da Colônia Mergulhão, podendo programar e conhecer as duas colônias com diferentes tradições.

 

Entrada da Colônia Murici

 

5 – Colônia Marcelino (40 km)

A Colônia Marcelino foi formada por volta de 1895 por imigrantes ucranianos que vieram da Colônia Santos Andrade. A Colônia fica em São José dos Pinhais quase na divisa com o município de Fazenda Rio Grande.

Nela, há grande produção de batata-salsa, pimentão e trigo, e é a maior produtora de camomila do estado do Paraná. O legal é que as plantações de camomila fazem com que a região tenha um cheiro adocicado, que somado com a paisagem torna um passeio calmo e relaxante.

Podemos conhecer a arquitetura ucraniana em algumas casas e na Igreja Ucraniana Santíssima Trindade, construída em estilo bizantino. A Igreja atual fica ao lado da Igreja histórica. Também é recomendado conhecer a Igreja São Pedro e São Paulo.

Sendo um local de forte religiosidade, a Colônia encanta nas procissões, ritos e festas de Páscoa e Natal, quando a comunidade se junta para celebrar.

 

Vista da Igreja Bizantina na Colônia Marcelino


 

Estas são algumas das colônias próximas a Curitiba. Ainda há mais, como a Colônia Polonesa Dom Pedro II e as Colônias Ucranianas de Prudentópolis, mas essas ficarão para uma possível continuação.

Até mais :)




 

 


  • Compartilhar: